AMD prepara suporte de driver USB-C Linux para GPUs Radeon

Com algumas placas gráficas da série Radeon RX 6000 apresentando uma interface USB-C para monitores USB-C ou fones de ouvido VR, a AMD tem trabalhado no suporte do driver Linux de código aberto para esta interface.

Semelhante às placas NVIDIA que suportam "VirtualLink" e o driver USB Type-C em que trabalharam como resultado (embora a NVIDIA tenha abandonado essa interface para GPUs Ampere), a AMD está trabalhando pelo mesmo caminho agora em seu suporte de driver Linux

O controlador USB Type-C encontrado nas GPUs AMD Navi mais recentes pode ser acessado via I2C e é baseado no DesignWare IP.

O suporte USB-C da série Radeon RX 6000 acaba estendendo o driver PCI i2c-designware existente do kernel Linux com cerca de 200 linhas de código para fazer a interface USB-C funcionar nessas placas gráficas.

O código está atualmente na lista de discussão do kernel, mas pode chegar assim que o ciclo 5.13 se tudo correr bem.

AMD registra patente para acelerador de aprendizado de máquina de chiplet a ser emparelhado com GPU e chips de cache

A AMD entrou com um pedido de patente pela qual descreve um design de chip MLA (Machine Learning Accelerator) que pode então ser emparelhado com uma unidade de GPU (como RDNA 3) e uma unidade de cache (provavelmente uma versão excisada por GPU do design Infinity Cache da AMD estreou com RDNA 2) para criar o que a AMD está chamando de "APD" (Dispositivo de processamento acelerado). O projeto permitiria, portanto, que a AMD criasse um acelerador de aprendizado de máquina baseado em chips cuja única função seria acelerar o aprendizado de máquina - especificamente, multiplicação de matrizes. Isso habilitaria recursos semelhantes aos disponíveis nos núcleos Tensor da NVIDIA.

Isso poderia dar à AMD uma maneira modular de adicionar recursos de aprendizado de máquina a vários de seus projetos por meio da inclusão de um chip, e pode ser a maneira da AMD de obter aceleração de hardware de um recurso semelhante ao DLSS. Isso evitaria as deficiências associadas à sua implementação no próprio pacote de GPU - um aumento na área geral da matriz, com, portanto, aumento de custo e rendimentos reduzidos, enquanto ao mesmo tempo permite que a AMD o implemente em outros produtos que não sejam pacotes de GPU. A patente descreve a possibilidade de diferentes tecnologias de fabricação sendo empregadas no projeto baseado em chips - remetendo aos módulos de E / S nas CPUs Ryzen, fabricados por meio de um processo de 12 nm, e não o de 7 nm usado para os chips principais. A patente também descreve a aceleração de solicitações de cache do chip da GPU para o chip de cache e o uso imediato dele como cache real ou como memória endereçável diretamente.

AMD resolveu problema com USB em Ryzen 3000 e 5000 – Update do AGESA chega em abril

A AMD afirma que os problemas relacionados a portas USB de placas-mãe séries 500 e 400 já foram identificados e atualização da BIOS deve ficar disponível para os usuários no começo de abril.

Através de um post no reddit a AMD diz que encontrou uma correção para os problemas de conectividade USB amplamente relatados que impactaram sistemas com processadores Ryzen, dizendo: "Com sua ajuda, acreditamos que isolamos a causa raiz e desenvolvemos uma solução que aborda uma série de sintomas relatados[...]." Vale lembrar que esse problema é antigo e que soluções temporárias foram repassadas como desabilitar o modo PCIe 4.0 das conexões, retornando ao formato PCIe 3.0 ou desabilitar ‘C-States’ através de modificações na BIOS. Essas alternativas, entretanto, não resolviam o problema para todos os usuários, além de serem um tanto frustrantes por desabilitar algumas das principais inovações das placas afetadas.

Após análises dos dados coletados, supõe-se que uma função de economia de energia não desenvolvida totalmente afetaria, não apenas, mas principalmente processadores Vermeer Zen3 Série 5000, levando a falhas de alimentação das portas USB e causando os problemas mas não há confirmação ou mais detalhes sobre a questão. 

Diversos tipos de problemas em portas USB de placas-mãe das séries 400 e 500, que variavam desde falhas de conexão ou desligamento das portas USB, não identificação de dispositivos como mouses, teclados, headesets VR, som com ruídos em dispositivos de áudio USB. Os problemas afetam, diversos chipsets como os X570, X470, B550, e B450, por exemplo.

Apesar de não ter revelado exatamente a fonte dos problemas, a AMD já identificou e afirmou que as fabricantes de placas-mãe dos modelos afetados receberão a nova versão do AGESA que corrige esses problemas, as versões finais deverão estar disponíveis para download nas páginas das fabricantes parceiras até abril.

Cada fabricante tem sua política para liberação de atualizações de BIOS, então é possível que alguns modelos específicos possam receber versões BETA da nova BIOS antes desse prazo, já com a AGESA 1.2.0.2.

Fonte: Videocardz.com, Tom's HARDWARE

 

Considerações do Lab.

Atualização de AGESA vem em uma atualização de BIOS, e a mesma tem que ser feita sempre com muita cautela, já que se durante a atualização acontecer qualquer interrupção do processo, a BIOS pode sofre danos permanentes. Procure sempre um profissional para realizar esse processo ou tenha algumas medidas de prevenção, como realizar esse tipo de atualização com o computador ligado a um nobreak.

No Internet Connection